Rimon Guimarães

 

Elementos chave no alfabeto visual de Rimon Guimarães são a face das têmporas em "T", cabeças e as entidades pictóricas que são figuras-im-permanentes-na-superfície-do-papel. Surgem como anfitriões em linhas-portais para um mergulho épico. Seja no vôo contínuo de pássaros, nos timbres e sonoridades sugeridos ou até mesmo nas linhas que passam da escrita ao desenho para retornar à superfície; o que sê nas curvas e nas cores desta mostra é o tempo-espaço feito à mão. É através da narrativa do artista que ficamos sabendo das altitudes e dos corpos que habitam a morada. Ou que se hospedam, como que em viagem, deitados e a flanar. Em sobrevôo na cama ou pelas paredes do intestino que porta um cisne, três cabeças, um beijo e o trombone. Aqui é sabido que sempre há vaga pra quem não está à sós. 

A exposição de Rimon Guimarães reúne desenhos, pintura e gravura produzidas desde 2008 até 2014. Uma série inédita de fotografias do artista na tentativa do vôo. São, em sua maioria, obras realizadas na escala íntima do atelier do artista que é também conhecido pelas pinturas em murais no espaço urbano. Em viagens, Rimon surge. 
 
 
 
 
 

Histórico