Desenho do Espaço - Oficina com Henrique Jakobi

O que serão as mentalidades urbanas do futuro? Levantar essa questão já é um pleonasmo, na medida em que o porvir da humanidade parece inseparável do devir urbano.

Guattari, 1992

 

O desenho é uma forma de expressão que pressupõe uma procura, uma definição para uma ideia abstrata e confusa antes do seu acontecer. O desenho do espaço permite compreender as relações entre corpo e espaço e suas funções. Propõe-se nessa oficina, uma atividade de desenho livre em algum espaço público, a fim de se pensar sobre esse espaço, lugar de circulação, de convívio, de política, de criação. Sobre construir e cuidar da sua própria cidade, extensão de nossos corpos. De se pensar nossa relação com ela, e através do desenho, propor uma refinalização de suas funções. 

Há um distanciamento entre projeto e arquitetura, entre urbanismo e arquitetura. Entre arquitetura e arte, entre a arquitetura da cidade e a vida. Os projetistas urbanistas estão muito ocupados em sua cidade modelo. O desenho urbano livre, como uma prática constante no planejamento, é uma ferramenta capaz de lidar como interface em todos os processos de planejamento e execução de uma ideia, uma obra. É uma forma de expressão que pressupõe uma procura, uma definição para uma ideia abstrata e confusa antes de seu acontecer. Permite compreender as relações entre corpo e espaço e suas funções. Diferente do projeto, o desenho possui um caráter dinâmico, constante, interativo, é uma forma de comunicação que pode ser explorada por qualquer pessoa.

Não se pode deliberadamente alterar, reformar um espaço público, arrancar suas árvores, demolir suas construções, sem a participação das pessoas que convivem nesse espaço. Cada pessoa constrói uma relação única e insubstituível com cada detalhe e seres que preenchem esse espaço. O urbanismo muitas vezes mostra-se opressor, desorientando, literalmente, os moradores de regiões por onde progride. As cidades devem ser deformadas, pensadas por todos, com a participação de todos. A oficina busca basicamente despertar esse urbanista unitário, um cidadão ativo, vivo. Que ama e cuida de sua morada. 

 

DATA: 23, 24 e 25 de outubro

VALOR: R$ 130,00

VAGAS: 7

Inscrições via email: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

fotografia, fotograma e impressão, Gyorgy Kepes, 1930

 

 

REQUISITOS

- Estar a fim de desenhar

- Também de pedalar 

- Trazer material de cartografia: folhas, canetas, lápis, de cores diversas, talvez borracha e superfície para apoiar as folhas. Se quiserem fazer fotos também, tudo bem.

 

RECORTES E INSPIRAÇÕES

DEBORD, Guy. Teoria da Deriva. 1958. Disponível em: https://teoriadoespacourbano.files.wordpress.com/2013/03/guy-debord-teoria-da-deriva.pdf.
GUATTARI, Félix. Restauração da Cidade Subjetiva. In: Caosmose. 1992. Disponível em: https://territoriosdefilosofia.wordpress.com/2014/11/17/restauracao-da-cidade-subjetiva-felix-guattari/.

ILLICH, Ivan. Energia e Equidade. In: Apocalipse Motorizado. 1973. Disponível em: https://drive.google.com/file/d/0BxR5Ri6g5X_ZN0JKM2lfal9odVE. Páginas 33-71.

LYNCH, Kevin. A Imagem da Cidade. 1960.

RAINHA, Ana Paula. Um novo contexto para o desenho urbano. In: O discurso crítico da cidade moderna. Disponível em: http://hdl.handle.net/11328/589. Páginas 123-135. 

 

BIO 

Graduei em design com um projeto sobre transporte coletivo. Desde que iniciei esse trabalho estava já viciado em assuntos sobre a cidade, especialmente a respeito do trânsito. Logo após terminar o curso trabalhei como ciclista mensageiro durante 4 meses, para simplesmente estar na rua, no trânsito, observando e pensando esse espaço. Passo as horas livres deformando a cidade, no papel, no imaginário, ou lendo assuntos que falam sobre a cidade, sobre o trânsito... e receitas. Não sei se posso dizer gastronomia, não estudo profundamente mas amo cozinhar e comer. Em fazer, realizar, algo difícil quando falamos em mudar as ruas. Tenho atuado bastante pela Cicloiguaçu (Associação dos Ciclistas do Alto Iguacu), geralmente me encontram na Bicicletaria Cultural.

 

sobre a imagemhttp://educators.mfa.org/prints-drawings-and-photographs/untitled-110298?related_people_text=Gyorgy%20Kepes

 

 

 

Histórico coo_zine